Ele não sabe voar

el silencio - La llamada de la eternidad
el silencio - La llamada de la eternidad

Ele não sabe o que é voar. Esse ato tão estranho e novo passa tão desapercebido, que várias vezes chega a hora de fazê-lo e ele não sabe de fato do que se trata.

Ele sabe que um dia voará. Sabe que é o tal processo. Nos laboratórios da sua época eram descobertos pós e líquidos milagrosos. Nos anos 90 ele dormia tranquilamente e na calada da noite homens inteligentes tramavam contra seu futuro. Ele dormia mas nos anos 90 suspeitava de tudo. Acordava no meio da noite e sentia dores nas costas. Algo pedia para sair, brotar. Sonhava que era pássaro, hipopótamo (eles passam 75% do seu tempo comendo), camelo (não é preciso dizer nada a respeito dos camelos), concorde, morcego.

Hoje, nos anos 2000, ele escuta dizerem que mulheres possuem fases e maŕes loucas. Na cara limpa andam dizendo que o que provocou a verdadeira revolução feminina foi a máquina de lavar. A verdade é que ela zomba dele. E ainda por cima, ele não sabe voar. A coragem que carrega não é o bastante. Em tempos de cosmovisões e revoluções sexuais há de se conhecer a técnica de flexionar os joelhos, encher lentamente os pulmões de ar e arquear os ombros como quem quer conquistar a profundidade desconhecida. O excesso de coragem pode ser fatal caso as pernas se desequilibrem.

Enquanto a técnica não vem, eles se mudam. Ele, que há dias vem demonstrando desafeto, parece irritado com alguma coisa. Ela, que pensa em casamento e viagem, está mais bonita embora com uma sonolência instigante.

Mas há eventos no Universo que dependem de nada para implodirem dezenas de átomos. Então por isso é que eles mudam sem perceberem que mudam. Deixam para trás as profecias modernas e os milhares de tecidos coloridos que cobriram a nudez embriagada de paixão. Ninguém mais verá aquelas paredes encardidas e enfeitadas com os sóis da Nova Era.

Ele não sabe voar.

E lá estão teus olhos lindos. Passo e não me vê. Estou escondida no reflexo da limpidez do teu rosto branco. Como pode tanta água escorrer assim pelos dedos? Se tudo dura tão pouco, se tudo é tão meu, se tudo é tão seu, se tudo é tão nosso!

Amo teus joelhos deselegantes. Amo teus braços tímidos. Espero-te aprender a técnica e enquanto isso amo tuas asas!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s