Primavera

     Quase lua, quase virando.
     Maré alta…
     Quero um mergulho quase afogado. Quero azul, imensidão anunciada, já que tenho desejo de passo apertado. E já é primavera…
    Primavera de fuga, de rachaduras nas paredes, casulos rompidos na dança das regenerações, escavações de paixões, livres das horas impossíveis dos dias de ventania ensolarada.
Mora em cada um de nós uma intensidade infantil, daquela que se solta e voa como pipas coloridas e atrevidas. Mora em nós uma absurda capacidade de entrega, dessa que escolhe mas depois não pensa, não distingue.
O amor para mim é um sufoco numa caverna cinza. É dureza de rocha, leveza de nuvem. Sutileza sem nome. Daí, essa urgência, esse abismo, esse esquecimento tão inocente, tão vago e alto.O amor é a trilha de todo e qualquer labirinto, esverdeada de musgos cheirosos, sonhos e estrelas. O amor é o dom, que às vezes eu renego, de retornar ao ponto onde parei para abrir os olhos e apertar a existência no abraço infinito. Deixar-se abraçar por esses braços infinitos…
Infinito de mar, de amar. Umidade de areia, palidez de chuva tardia . É o céu que se abaixa sombreando as águas, fazendo sorrir o moço bonito, arrepiando os olhares das varandas, confundindo as cores das casas velhas e inexistentes.
Existe dentro de mim um galope, uma ânsia por uma espécie de inexistência, de ferrugem. Mas o amor age com uma nobreza de silêncio parecida com aquela dos heróis voadores.
E por ser assim tão novo, tão velho, sem nexo, sem mérito, respira por si só, fica solitário e cheio. Vira final, morre e nasce, morre e nasce numa dança, numa mandala sem fim.
Viva a primavera que chegou ontem. Viva essa tão esperada época de sair da caverna de Platão, de regenerar os cortes, de germinar e se alimentar!
Uma boa primavera a todos…
Anúncios

Um comentário sobre “Primavera

  1. foi esta virada de estação, tão esperada, que nos deixou afoitas, cansadas, amadas e esquecidas… amores tão sonhados para ser vividos nesta época, mesmo no terreiro do cangaço libertino… isso nos faz bem, muito bem, não é verdade? E eu quem pensei que demoraria bastante para escrever alguma coisa, deve ser a influência da estação mesmo. Que o tempo acabe e permaneça aqui o meu amor. Amém.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s